Tipos de acnes e como tratá-las

Tipos de acnes e como tratá-las

Quando os óstios foliculares, aqueles orifícios muito pequenos por onde os pêlos nascem, são obstruídos por óleo e restos celulares, as glândulas sebáceas inflamam, dando origem às acnes. O processo é bastante comum, sendo mais presente em pessoas com caraterísticas de pele naturalmente oleosa.

Existem diversos motivos que colaboram para o surgimento da acne, como as alterações hormonais, fatores genéticos e o uso de medicamentos, maquiagens e suplementos alimentares.

O sebo é normalmente produzido pela pele e deve ser mantido em níveis saudáveis, contribuindo com a proteção cutânea. Entretanto, quando a produção ocorre de modo exagerado, os poros são cobertos pela substância, tornando-se um ambiente propício à proliferação de bactérias.

Para tentar impedir o crescimento da comunidade de visitantes indesejados sobre a pele, o corpo envia células de defesa, que gera o processo inflamatório e pus. Existem classificações para cada grau desse desenvolvimento, como você pode ver aqui.

Tipos de acnes

O Grau I se caracteriza pelo surgimento de cravos (sem lesões inflamatórias). Já o Grau II, nascem pequenas espinhas em formatos de pontos amarelos, devido à presença do pus, formando lesões moderadas de inflamação.

No Grau III, além de cravos e espinhas menores, também existem lesões maiores e mais profundas, denominadas cistos.

Seguindo a linha de desenvolvimento dos graus, no IV se refere a um nível de inflamação grave, com múltiplas lesões inflamatórias, cistos comunicantes e cicatrizes extensas.

Tratamentos disponíveis

De início, é importante deixar claro que a pele não deve ser apertada ou ter as espinhas espremidas em casa, em nenhuma hipótese. Agredir a pele  dessa maneira provoca a abertura de fendas, colaborando para a entrada e proliferação de mais bactérias, piorando o atual quadro de inflamação.

A sujidade das mãos, por debaixo das unhas e praticamente invisíveis a olho nu, agem como grandes vilãs para quem tenta resolver a situação em casa. Caso a pele apresente qualquer um dos graus mencionados, o recomendado é procurar pelo auxílio do médico dermatologista.

O tratamento das espinhas, além de colaborar para a recuperação da pele, pode prevenir o surgimento de novas inflamações no futuro. Para isso, são necessários exames visuais e laboratoriais, avaliando qual o melhor método para conter o avanço do problema.

Levar o caso para ser cuidado por um profissional evita cicatrizes permanentes e danos difíceis de serem revertidos. Quanto antes o tratamento for iniciado, mais facilmente o paciente se verá livre das marcas e dores localizadas das espinhas.

Manter a rotina de skin care diariamente também é um método de cuidar da pele acneica e evitar o surgimento da situação. Comece pela higienização correta do rosto, retirando a maquiagem com produtos adequados e esfoliando a região de tempos em tempos. Além disso, mantenha a pele sempre hidratada, mesmo que seja oleosa.

A proteção solar, específica para à face, também é recomendação fundamental e diária. Nesse caso, prefira produtos de efeito matte, de textura em gel, sérum ou gel creme, não comedogênicas e oil free, colaborando para manter a sensação de limpeza e rosto sequinho o dia todo.

No consultório dermatológico, diversos tratamentos podem ser indicados, desde o uso de pomadas até a ingestão de comprimidos, como o famoso Roacutan. Seja qual for a necessidade de cuidados da pele, opte pelo acompanhamento profissional, os resultados são bem mais rápidos e eficazes do que qualquer receitinha encontrada na internet pode proporcionar.

Caso tenha dúvidas sobre o assunto e queira receber uma avaliação médica, você pode agendar uma consulta na Clínica Lucas Miranda e dar início ao tratamento para recuperação da pele acneica. Basta entrar em contato conosco pelo site ou telefone. Aguardamos você!