Marque sua consulta

    O que é e como tratar hiperidrose

    hiperidrose

    Talvez você não consiga ligar o nome à situação, mas muita gente sofre de hiperidrose, condição caracterizada pelo suor excessivo. Ela comumente limita o indivíduo a realizar tarefas do dia a dia e até gera certos constrangimentos.

    Em algum momento você já deve ter presenciado pessoas que transpiram tanto, mas tanto, que chegam a molhar papéis, camisas, dinheiro, mercadorias, a mesa em que trabalha ou qualquer outro objeto que estejam manipulando.

    Transpirar é fundamental, mas não em excesso

    Transpirar é muito normal. Aliás, o suor tem a importante função de resfriar o corpo para que ele não esquente muito. Assim, o organismo se livra do excesso de calor produzido pela ação do metabolismo.

    Alterações hormonais, doenças da tireoide e fatores emocionais, como medo e dor, influenciam na produção de suor. Embora não cause nenhum dano à saúde, a sudorese em excesso pode ser um problema, afetando tanto a vida pessoal como a profissional.

    A hiperidrose pode surgir por motivos diversos, como fatores emocionais, genéticos ou ser desencadeado por alguma doença, podendo apresentar os seguintes sintomas:

    • Suor excessivo em diferentes partes do corpo como axilas, pescoço, mãos, pés, virilha, couro cabeludo e rosto;
    • Sudorese somente em uma determinada área do corpo;
    • Transpiração em grande quantidade até mesmo quando a pessoa está em repouso e em temperatura mais amena.

    A transpiração exagerada pode não ser hiperidrose, mas ter causas pontuais, como a menopausa.  Para um diagnóstico é preciso consultar um médico dermatologista que irá fazer uma avaliação mais aprofundada.

    Um dos testes possíveis é feito com a aplicação de um papel especial sobre a área afetada pelo excesso de sudorese, que será pesado após o período determinado pelo especialista. A quantidade de fluido acumulado ajuda a identificar o problema.

    Existe tratamento para a hiperidrose?

    A boa notícia é que existe sim, tratamento, e ele é feito de acordo com o diagnóstico, que pode ser:

    • Desodorantes antitranspirantes que contenham cloreto de alumínio para serem aplicados antes de dormir;
    • Medicamentos específicos que bloqueiam a ejeção do suor;
    • Injeção de botox na área afetada, bloqueando temporariamente os nervos que causam sudorese;
    • Cirurgia para bloquear o estímulo nervoso às glândulas sudoríparas
    • Cirurgia para remover as glândulas sudoríparas.

    Dependendo da situação, o médico pode indicar também uma psicoterapia com o objetivo de controlar a ansiedade e o estresse, fatores que ajudam a piorar a hiperidrose.

    Conforme já mencionamos, a condição não provoca danos maiores à saúde, mas limita a convivência social, causando desconforto e constrangimento nos portadores da hiperidrose.

    Se esse for o seu caso, não perca mais tempo! Marque ainda hoje uma consulta na Clínica Lucas Miranda e vamos conversar a respeito, tirar dúvidas, realizar exames e propor o melhor tratamento para o seu diagnóstico.

    Aguardamos a sua visita!

     

     

    ©2021 Lucas Miranda. Todos os direitos reservados.
    Desenvolvido por Acesso Marketing e 909 Web Studio.

    Nós utilizamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar sua experiência em nossos serviços, personalizar nossa publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao continuar a navegação em nosso site, você concorda com nossa Política de Privacidade.