Terapia Capilar com Hygialux

O laser de baixa fluência (LED – light emitting diode) já vinha sendo usado para o tratamento de feridas de difícil cicatrização, onde observou-se o crescimento de pelos mais grossos e compridos no local de aplicação do laser.

 

Desde então, iniciaram-se pesquisas usando o laser para o tratamento da calvície. Os primeiros trabalhos publicados na área capilar datam de 2001, com resultados significativos.

Hygialux1

O laser de baixa potência recebe este nome por atingir a potência de 1 a 500 miliwatts (mw), ao contrário dos lasers de alta potência, que atingem de 3.000 a 10.000mw. Ele também é chamado de Laser Frio, pois não gera aquecimento dos tecidos e, por isso, não provoca qualquer tipo de dano térmico no local aplicado. Pela baixa potência, não apresenta efeito carcinogênico ou ionizante.

 

MECANISMO DE AÇÃO

 

O mecanismo de ação dos lasers de baixa potência é o da fotobioestimulação. A luz do laser penetra no local aplicado, atinge as células e estimula seu metabolismo ( há um aumento da produção de ATP pelas mitocôndrias).

 

O exemplo mais comum de fotobioestimulação é a fotossíntese, quando as plantas utilizam a luz solar para produzirem energia química.

 

Isso se traduz em um melhor aproveitamento dos nutrientes, melhor eliminação de toxinas, em aceleração da divisão celular, aceleração do crescimento epitelial com melhor cicatrização, em aumento de síntese proteica, em redução de inflamação e em estimulação do crescimento dos pelos.

 

Outro mecanismo de ação dos lasers de baixa potência é a ativação da microcirculação arterial, melhorando o suprimento de sangue e oxigênio para as células. Há também aumento do fluxo de retorno venoso e linfático, resultando na redução de edemas pós-inflamatórios.

 

INDICAÇÕES DO USO 

 

– Redução da progressão das Alopecias Androgenéticas Masculina e feminina em graus iniciais e intermediários, pois o laser age nos folículos viáveis. Infelizmente não há tratamento clínico que reative um folículo que já entrou em estado fibrótico. Em locais onde já não há mais cabelos, a única forma de tratamento é o transplante capilar;

– Tratamento de eflúvio telógeno agudo, onde ocorre a queda temporária dos cabelos em situações como pós parto, pós-cirurgia, pós-emagrecimento importante, pós-anemia, pós-estresse, pós-uso de certos medicamentos e pós-doenças de tireoide, entre outros;

– Pós-Cirurgia de Transplante Capilar, para acelerar a cicatrização e eliminação das crostas e ajudar no crescimento dos fios transplantados;

– Como coadjuvante no tratamento da Dermatite seborreica de couro cabeludo, pois a ação anti-inflamatória do laser reduz a oleosidade e o prurido da região tratada.

 

Além disso, o tratamento da queda dos cabelos com laser de baixa potência é totalmente indolor, não tóxico, não invasivo e sem qualquer tipo de efeito colateral. Já é autorizado pelo FDA e já vem sendo empregado pelas melhoras clínicas de tratamento de calvície.

 

Qualquer tratamento não cirúrgico age na raiz ainda “viva”. A figura abaixo mostra as fases do ciclo dos cabelos que o LED pode beneficiar:

Terapia Capilar com Hygialux

FASE 01– Pelo em fase anágena (crescimento). O LED atua muito bem nesta fase, estimulando o metabolismo da raiz e a vascularização.

FASE 02– Pelo em fase telógena (queda). O LED atua bem nesta fase, estimulando o crescimento do novo pelo que está por vir.

FASE 03 – Pelo miniaturizado (em fase de atrofia). O LED pode recuperar a vitalidade deste tipo de pelo, fazendo com que ele volte a engrossar parcialmente.

FASE 04 – Não há mais raiz “viva”, e o LED não exerce efeito benéfico. Não há como reativar uma raiz que já não existe mais.

 

O Tratamento de Terapia Capilar com Hygialux® está disponível em Belo Horizonte na Clínica Lucas Miranda.

Marque sua avaliação ou agende este tratamento.

Vídeos relacionados no Blog Clínica Lucas Miranda:

Quais são os avanços no tratamento da calvície?

https://clinicalucasmiranda.com.br/calvicie-tem-cura-2/