Tratamento de pele durante quimioterapia

quimioterapia e pele

Tratamento de pele durante quimioterapia

O tratamento com quimioterapia costuma ser agressivo e ter efeitos bem desagradáveis na pele. Mas nada que a orientação do dermatologista e o uso de bons produtos não possam amenizar.

Sabemos que esse é um processo doloroso e difícil para mulheres e homens. E, se você chegou até essa etapa, é sinal que muita coisa já ficou para trás. Então, não desista! Continue focando no seu bem-estar, incluindo um potencial tratamento de pele durante quimioterapia.

Efeitos da quimioterapia na pele

A quimioterapia é um dos recursos terapêuticos utilizados para combater o câncer. Apesar de um único termo, a quimioterapia é um conjunto de diversificado de medicamentos (orais, tópicos ou injetáveis) específicos para cada tipo de câncer. Cada quimio é receitada conforme a eficiência na luta contra o câncer em questão.

Dessa forma, cada paciente vai responder ao tratamento de forma distinta. Algumas pessoas podem apresentar uma série de efeitos colaterais, outras nem tanto.

Por ser uma terapêutica forte e que age sobre todas as células do organismo, tanto as cancerosas quanto as saudáveis, algumas consequências da quimioterapia são comuns, especialmente na pele.

Dentre as mais comuns estão:

  • Erupções cutâneas, muito semelhantes à acne;
  • Rachaduras nas pontas dos dedos das mãos;
  • Ressecamento e inflamação ao redor das unhas;
  • Sensibilidade no couro cabeludo;
  • Feridas orais, como aftas;
  • Descamação e feridas nas palmas das mãos e solas dos pés;
  • No geral, a pele fica muito seca, irritada ou coçando.

Tratamento de pele para minimizar efeitos da quimioterapia

Como já deu pra perceber, a pele de quem faz tratamento quimioterápico fica muito sensível. Muitas vezes, o ato de fazer a hidratação diária, por si só, pode ser um sofrimento, já que o local fica muito vulnerável.

Algumas instruções são “gerais” para quem enfrenta esse processo. Quer ver?

Fique longe do sol

Quimioterapia e sol não combinam. O sol incidindo sobre uma pele sensibilizada pode resultar em irritações e feridas, sem falar no possibilidade de desencadear manchas residuais.

Pacientes em radioterapia também precisam dar uma atenção especial à pele para evitar o que chamamos de radiodermite: uma espécie de queimadura que pode ser leve ou severa. A condição também pode piorar com a exposição solar.

Dê um tempo nos tratamentos estéticos

Se você estava fazendo algum tipo de tratamento estético, é melhor deixá-lo de lado por enquanto. O momento é de pensar na saúde e no seu conforto físico. Você ainda terá muito tempo para cuidar esteticamente da sua pele.

Nesse sentido, evite qualquer processo abrasivo, como esfoliação, ácidos e até mesmo o uso de esponjas e buchas.

Hidratação por dentro e por fora

Hidratação é a palavra mágica para quem faz quimioterapia. E ela é muito bem-vinda, tanto por dentro quanto por fora. Por isso, beba três litros de líquido por dia. Pode ser água, sucos, água de coco, chás… qualquer líquido que te ajude a hidratar a pele.

Outra forma de manter a saúde cutânea é o uso de sabonetes suaves e de pH neutro para a higienização. Aplicar cremes que não contenham álcool, massageando o local com leveza, e usar constantemente filtro solar são super indicados.

Os cuidados com a pele em quimioterapia não param por aí. Existem muitas situações que o paciente oncológico deve evitar, caso lhe cause desconforto, como roupas apertadas, tecidos sintéticos, perfume, loção pós barba, saunas e banhos quentes.

O momento não é fácil e exige cuidados redobrados, mas vai passar – e, em breve, você vai poder fazer tudo que sempre fez.

Se precisar de mais orientações nesse período delicado, entre em contato com a gente e agende uma visita aqui na Clínica Lucas Miranda.