Queda capilar pós-Covid: o que fazer?

queda capilar pós-covid

Queda capilar pós-Covid: o que fazer?

O Sars-CoV-2, ou Covid-19, além de ser um vírus traiçoeiro, deixa também muitas sequelas. De acordo com a OMS, um em cada dez pacientes sofre com a Síndrome Pós-Covid. Entre os sintomas, estão fadiga, falta de ar, dores musculares, dores no peito e costas, perda de olfato e paladar e queda de cabelo. Sim, os cabelos também são afetados pelo vírus!

O coronavírus causa uma verdadeira tempestade inflamatória no corpo, e, apesar de ser principalmente respiratório, também afeta outros sistemas do corpo. As sequelas existem mesmo em casos leves, sem necessidade de internação. As principais são:

  • ansiedade e depressão;
  • falta de ar;
  • fadiga;
  • dores musculares;
  • trombose;
  • perda de memória;
  • dificuldade de atenção;
  • insuficiência renal;
  • náusea;
  • dificuldade de visão;
  • zumbido no ouvido;
  • perda de cabelo.

A queda capilar pós infecção não atinge todos os pacientes, mas é bem comum. As sequelas tendem a se arrastar por meses após a doença, e a subnotificação de casos pode piorar a situação.

Queda capilar pós-Covid: por que acontece?

O cabelo possui três fases de crescimento: a anágena, de crescimento ativo, a catágena, fase final do período ativo e início do repouso e a telógena, fase de queda natural dos fios. Em períodos de muito estresse ou graças a doenças infecciosas ou metabólicas severas, os fios que estavam em fase de anágena migram precocemente para a fase telógena, causando a queda dos fios.

Esse processo, denominado eflúvio telógeno, é o que acontece após a Covid-19.

A boa notícia é que a condição tende a ser transitória. Causada pela dificuldade imunológica e fisiológica, a queda capilar pode surgir após 3 meses da infecção e persistir por até 6 meses, mas não deve ser ignorada.

A queda capilar, nesse caso, não costuma preocupar, já que não é causada por uma doença que acomete o couro cabeludo. Mas, assim como no caso de outras sequelas, o ideal é procurar um médico, que vai investigar a fundo os sintomas e avaliar os riscos.

Como tratar a queda capilar pós-Covid-19?

Apesar de geralmente se curar sozinha, se exagerada, a queda capilar pode comprometer a autoestima e preocupar o paciente. Alguns tratamentos podem regularizar o processo de crescimento e aliviar os efeitos da queda. O médico dermatologista pode prescrever tratamentos tópicos ou orais para minimizar o problema.

Outra opção é a suplementação de vitaminas, caso seja detectada deficiência. Com a reposição adequada, o organismo ganha força para retomar os processos capilares com mais rapidez, além de fortalecer a imunidade como um todo.

O dermatologista também pode indicar tratamentos específicos para a queda, como aplicação de laser ou tratamento com ativos locais. Além disso, também pode ajudar o paciente a manter os cuidados em casa, com linhas de shampoo, condicionadores e tratamentos específicos para cada caso.

Sequelas de Covid-19 tendem a assustar, mas o ideal é não se automedicar nem buscar soluções genéricas. Cada caso é um caso e o tratamento efetivo só será feito com base na análise de um médico qualificado.

 

Se a queda capilar pós Covid-19 está te incomodando, não espere. Aqui na Clínica Lucas Miranda, oferecemos diversos tratamentos de alta tecnologia, como o MMP (Microinfusão de Medicamentos na Pele) e a Terapia Capilar com Hygialux. 

Feito com laser de baixa fluência, a terapia capilar age na estimulação das células epiteliais, estimulando o crescimento dos fios e reduzindo a inflamação. O tratamento é completamente indolor, não invasivo e não tóxico.

Agende sua consulta!