Poros dilatados tem cura?

Poros dilatados tem cura?

Hoje vamos conversar sobre um tema que é queixa comum aqui no consultório: os poros dilatados.

Em linhas gerais, poros são os pontos da pele por onde saem secreções sebáceas e pelos. Eles têm um tamanho natural, mas podem acabar aumentando devido a algumas causas típicas (das quais falaremos a seguir), dando a impressão de um “rosto com furinhos”.

Isso soa familiar? É porque todo mundo conhece alguém, ou é a própria pessoa, que se queixa de ter poros dilatados. Realmente essa é uma condição que prejudica a estética facial, trazendo muito incômodo a quem a tem.

Contudo, existem alguns tratamentos bastante eficazes contra isso.

Antes de falar sobre eles, gostaria de conversar com você sobre as causas dos poros dilatados. A primeira delas é a oleosidade da pele. Para liberar sebo na superfície cutânea, a pele oleosa dilata os poros.

A segunda causa é a espessura da pele. Quanto mais grossa for a pele, mais sua chance de apresentar poros dilatados. Isso acontece porque o infundíbulo do poro vai engrossando à medida em que caminha para a superfície. Então, quanto mais espessa a pele, maior a abertura do poro na superfície.

A terceira causa mais comum de poros dilatados é a flacidez da pele. A gente sabe que uma pele flácida não consegue estruturar a parede dessa abertura. Então, ela vai dilatando com o tempo, tornando os poros um pouco maiores.

Como tratar poros dilatados?

Para pensar no tratamento de poros dilatados é preciso raciocinar em cima dessas causas, principalmente no combate à oleosidade da pele.

E como a gente faz isso?

Existem produtos, incluindo sabonetes e ácidos para uso de rotina, em casa, além de alguns tipos de peeling que também são muito bons no controle da oleosidade e medicamentos via oral que podem ser receitados por um dermatologista.

Já para tratar a espessura da pele, segunda causa dos poros dilatados, podemos lançar mão de alguns procedimentos dermatológicos, como peeling, laser e até mesmo alguns ácidos que descamam a pele e a tornam cada vez mais fina. Com isso, a abertura do poro na superfície vai se tornar menor.

A terceira causa, que é a flacidez cutânea, merece ser trabalhada. Sabemos que, quanto mais estruturada a pele for, menor será a abertura do poro. Temos diversos mecanismos para combater a flacidez cutânea, tais como radiofrequência, alguns lasers mais profundos e outros artifícios que estimulem a produção de colágeno – que tem, como consequência, a estruturação da pele e a contração da abertura do poro.

Falando assim, até parece um tratamento simples, não é verdade?

Contudo, vale lembrar que o tratamento é constante, para combater e contornar as causas dos poros dilatados. A consulta regular ao dermatologista é a forma certa de medir até onde vão os procedimentos indicados para curar essa condição.

Afinal, quanto melhor a pele fica, mais adequação teremos que fazer para que o tratamento se ajuste às demandas estéticas do rosto em questão.

Resumindo, poros dilatados tem cura, mas o tratamento precisa ser acompanhado de perto por um especialista – e o paciente deve estar preparado para seguir uma rotina de cuidados especiais.

 

Ficou alguma dúvida sobre causas e tratamentos de poros dilatados? Deixe sua pergunta nos comentários ou agende sua consulta na Clínica Lucas Miranda.