Por que não podemos espremer espinhas?

espremer espinhas morango

Por que não podemos espremer espinhas?

O ato de espremer espinhas parece bem comum, não é mesmo? Para muitas pessoas, é só aparecer uma espinha para correr até o espelho e espremê-la! Por mais que seja tentador, reprima esse impulso. Espremer espinhas não elimina as lesões e faz muito mal à pele.

Dentre os muitos malefícios da prática está o potencial agravamento dos quadros de acne.

A acne é uma condição inflamatória da pele, que ocorre devido à hipersecreção das glândulas sebáceas, causando oleosidade. Essa oleosidade se une aos resíduos da pele e acabam obstruindo nossos poros, levando à formação de cravos e, posteriormente, à acne.

Ao contrário do que você pensa, uma espinha não desaparece quando você espreme. A espinha é uma pequena inflamação e, quando você coloca pressão sobre ela, e esvazia aquele pequeno conteúdo de pus, você cria uma ferida na pele. Essa ferida pode se transformar em uma inflamação pior do que a própria acne, que exigirá cuidados e poderá deixar uma cicatriz. Estamos falando das famosas manchas e cicatrizes de acne.

E por que o processo inflamatório piora após espremer a espinha? Bom, quando uma espinha ou cravo não é retirado corretamente – e espremê-los não é o processo correto -, as bactérias das suas mãos e unhas penetram na lesão, causando a inflamação persistente, que pode dar lugar a uma nova espinha ou a uma cicatriz.

Se sua condição de acne for crítica, pior ainda. Uma lesão infectada pode causar um grave processo inflamatório, sendo necessária a intervenção de antibióticos. Por isso, antes de tocar seu rosto certifique-se de que suas mãos estão limpas e, para o tratamento correto da acne, procure um dermatologista.

Como tratar acne sem espremer espinhas?

Existem diversos tratamentos para o combate à acne. O protocolo adequado deve levar em conta o tipo de pele, hábitos alimentares, grau da acne, entre outros, e só pode ser desenvolvido por um dermatologista.

O tratamento da acne pode envolver a aplicação de ácidos e cremes manipulados, géis secativos, rotinas de cuidados com a pele e até mesmo o uso de pomadas antibióticas. Além desses, o controle da acne pode envolver tratamentos estéticos mais avançados, como o LED , peelings e lasers.

Em outras palavras, existem diversas opções para melhorar o aspecto da pele lesionada e mantê-la saudável.

Skincare: um aliado da beleza saudável

O termo “skincare” se popularizou nas redes sociais nos últimos anos e significa, em tradução livre, significa uma rotina de cuidados com a pele.

Diversas personalidades e influencers digitais vem mostrando detalhadamente, nas redes sociais, suas rotinas de cuidado com a pele, prática que ajudou na viralização do tema. A rotina de skincare trata de cuidados diários, semanais e/ou mensais com a pele, que podem ser feitos em casa ou com apoio de tratamentos estéticos em clínicas especializadas.

Criar uma rotina de limpeza, hidratação e cuidados com a pele é essencial para prevenir o envelhecimento precoce e, claro, ficar livre da acne – sem precisar espremer nenhuma, pois as espinhas diminuem conforme o tratamento avança. Contudo, vale lembrar que não existe milagre: o tratamento de acne é feito de médio a longo prazo, e tem resultados mais assertivos com o acompanhamento de dermatologistas especializados.

Se espremer espinhas e cravos têm sido uma grande tentação, configurando um potencial problema futuro, corte o mal pela raiz. Agende sua consulta e vamos traçar um protocolo específico para atender à suas necessidades.