Peeling de fenol: quando fazer?

peeling de fenol

Peeling de fenol: quando fazer?

Um dos tratamentos dermatológicos mais buscados para renovar a pele é o peeling, já que os benefícios desse procedimento, quando feito corretamente, são duradouros. E, dentre as opções disponíveis, o peeling de fenol é uma boa escolha para que sejam revertidos os sinais de envelhecimento.

O objetivo do peeling de fenol é melhorar a textura da pele, clareando manchas e amenizando potenciais lesões. O resultado dessa intervenção é o rejuvenescimento profundo da pele, já que o fenol atua em sinais do tempo como rugas e linhas profundas. Em alguns casos, ele também pode ser efetivo no tratamento do melasma.

Apesar de todos os benefícios, o procedimento não é indicado para todos; portanto, é indispensável entender se você pode se submeter a ele antes de buscar essa solução. Além disso, como deve ser realizado com cuidado e perícia, para não prejudicar a pele, o melhor local para tratamentos com este peeling é o consultório dermatológico.

Principais características do peeling de fenol

O Peeling de Fenol é um peeling do tipo químico, ou seja, o procedimento é feito com ativos químicos indicados de acordo com o objetivo do tratamento. Entre as opções estão o ácido retinoico, salicílico, glicólico e o fenol, claro.

Esse elemento atua de maneira profunda e age em todas as camadas da pele. Por isso, é capaz de tratar desde marcas superficiais, como manchas, até sinais mais profundos, como cicatrizes e rugas.

O Peeling de Fenol proporciona resultados incríveis, mas não pode e nem deve ser feito por qualquer pessoa. Apesar de não ser uma cirurgia plástica, ele demanda anestesia tópica e injetável local e acompanhamento médico.

Antes de se submeter ao peeling de fenol, o paciente deverá realizar diversos exames, já que a substância pode ser tóxica. Tendo a garantia de que o procedimento será feito de maneira segura e eficaz, o dermatologista dá continuidade ao processo. Alguns cuidados devem ser tomados antes do começo do tratamento, como evitar exposição solar, que pode facilitar o surgimento de manchas.

O ideal é mesmo preparar a pele por algumas semanas antes de realizar o peeling, evitando tudo que seja abrasivo ou agressivo demais. Não se preocupe: o dermatologista responsável por seu tratamento indicará os cuidados necessários!

Os resultados são visíveis após 10 a 15 dias – em apenas uma aplicação já é possível sentir a pele mais jovial.

A recuperação do peeling de fenol pode ser um pouco desconfortável, já que, após a aplicação, o paciente deve ficar em repouso por aproximadamente uma semana, fazendo uso de medicamentos analgésicos e anti-inflamatórios. Exposição ao sol, nem pensar! Para manter a pele saudável e prolongar os efeitos do peeling é essencial evitar por ao menos 3 meses.

No intuito de evitar queda de imunidade após o peeling é indispensável continuar monitorando a saúde e suplementando o que for necessário.

Quem pode fazer Peeling de Fenol?

Você já percebeu que o peeling de fenol é coisa séria, não é? O procedimento não é indicado para todos.

Para entender se você pode realizar o procedimento, converse com seu médico dermatologista. Por meio de uma cuidadosa avaliação dermatológica e do histórico de saúde do paciente é possível avaliar a necessidade e a viabilidade desse tratamento.

Já adiantamos que o protocolo é geralmente indicado para pessoas com pele gravemente danificada pelo sol, rugas ou cicatrizes mais profundas, manchas grandes e lesões pré-cancerosas.

Quem tem doenças cardíacas, renais e hepáticas, deve passar longe do peeling de fenol e procurar um procedimento mais suave para a renovação da pele.

A dica é contar com a orientação de um médico dermatologista especializado. Aqui na Clínica Lucas Miranda aliamos profissionais atualizados e tecnologia de ponta com um ambiente acolhedor e confortável.

Se tiver interesse em saber mais sobre o Peeling de Fenol, agende a sua consulta aqui e vamos bater um papo!