Hiperidrose Axilar

hiperidrose Axilar caracteriza-se pelo suor excessivo além das necessidades fisiológicas. Estima-se que essa condição afete 3% da população.

O suor excessivo é o resultado da ação das duas diferentes glândulas sudoríparas: écrinas e apócrinas. As glândulas écrinas, encontradas em todo corpo, são responsáveis pelo equilíbrio da temperatura corporal, enquanto as apócrinas, localizadas principalmente nas axilas e na área genital, produzem o suor gorduroso e causador do mau cheiro.

Essa condição não é uma doença, pois não causa mal estar físico. Seus sintomas afetam apenas o convívio social, uma vez que a hiperidrose Axilar pode ser motivo de preconceito por quem não conhece suas causas. Devido ao grande incômodo causado pela hiperidrose, existem diversos estudos que buscam encontrar alternativas para essa condição.

 

Tratamentos tópicos: Existem diversas medicações tópicas no mercado que ajudam a diminuir o suor, como soluções com 12% até 20% de sais de alumínio, metal responsável pela obstrução controlada e temporária do ducto glandular. Ainda que seja considerado um método efetivo, ele também pode promover irritação cutânea, principalmente axilar, além de perder eficácia com o tempo.

 

Tratamento Oral:  feito com uso de anticolinérgicos, como o cloridrato de oxibutinina, que podem ser utilizados isoladamente ou combinados. Entretanto, poucos estudos foram realizados demonstrando eficácia, além de apresentar, como efeito colateral, boca e olhos secos, tontura, perda no controle da bexiga urinária e alteração da peristalse gástrica (intestino preguiçoso).

 

Cirurgia (Simpatectomia transtorácica): cirurgia realizada com anestesia geral e em ambiente hospitalar. Com o auxílio de uma câmera e de um eletrocautério, o cirurgião penetra na caixa torácica, cauterizando o nervo responsável pelo estímulo nervoso simpático das glândulas. Trata-se de procedimento cirúrgico invasivo, que apresenta riscos, como a sudorese compensatória em outros locais do corpo.

 

Medicamentos injetáveis localmente: existem medicamentos que conseguem um bloqueio da secreção das glândulas sudoríparas. É um procedimento realizado no consultório médico, sem riscos de efeitos colaterais ou de desconfortos, e não causa sudorese compensatória em outros locais do corpo. A durabilidade é de 12 a 18 meses.

 

O tratamento com medicamentos injetáveis localmente para a hiperidrose Axilar está disponível em Belo Horizonte na Clínica Lucas Miranda.

Marque sua avaliação ou agende este tratamento.

Vídeos relacionados no Blog Clínica Lucas Miranda:

 

A hiperidrose tem cura?

 

Tratamento para acabar com o suor em excesso!