Como está sua pele na pandemia? 

pele na pandemia

Como está sua pele na pandemia? 

Já parou para pensar que em nossa vida nada parece ser o mesmo? Nem mesmo a nossa pele! Para combater a Covid-19, um vírus que tem matado milhões de pessoas no mundo inteiro, foram determinadas medidas de enfrentamento ao vírus que, sim, causam alguns “efeitos colaterais” – por menores que sejam.

O uso de máscara, álcool gel, sabonete, detergente e demais produtos de limpeza para higiene das mãos e sanitização da casa e ambiente de trabalho tem colaborado para que menos pessoas se infectem. Por outro lado, os mesmos cuidados têm propiciado vários problemas de pele.

Um ano depois, o que você viu de diferente?

Além da situação pandêmica, que mexe com as estruturas de todo mundo, muitas pessoas têm reclamado que não conseguem mais se ver no espelho. Ou seja, elas se olham, mas não se reconhecem.

O isolamento social, juntamente com o arsenal de produtos que usamos para evitar o contágio, contribuem para a mudança na textura da pele do rosto e das mãos e podem até causar alguns problemas dermatológicos.

Embora todos esses produtos sejam mais do que necessários – e não possam, de jeito nenhum, ser suspensos –, seu uso frequente desgasta a barreira natural da pele, agredindo principalmente as mãos. O que acontece é que nós temos uma camada de gordura que protege a região. Como lavamos as mãos o tempo todo, ou aplicamos o álcool gel com mais frequência, essa camada acaba sendo removida, provocando lesões, irritações e até feridas.

Para evitar maiores complicações o ideal é abusar dos hidratantes. Eles vão garantir maciez e nutrição nas partes afetadas.

Cuidados com a pele no uso de máscara

A máscara é uma medida efetiva de prevenção à Covid-19, protegendo não só a gente como, também, os outros. O uso prolongado desse material de segurança pode provocar alterações na pele, causando descamação, cravos e espinhas, bolinhas vermelhas e aumento da oleosidade.

Deixar de utilizá-la não é uma opção; portanto, é hora de redobrar os cuidados.

O grande desafio das máscaras, em especial para quem trabalha com ela o dia todo, é que elas impedem a passagem do ar, abafando a região que está em contato com o material sintético. Como a pele não respira e, na maioria das vezes, a máscara está mais úmida, ela se torna um ambiente perfeito para as bactérias.

Isso aumenta a produção de glândulas sebáceas com a finalidade de proteger a pele, mas ocasiona acne e outros problemas dermatológicos que precisam ser verificados com atenção. A recomendação é trocar a máscara sempre que ela estiver úmida, lavar o rosto duas vezes ao dia com produtos específicos para o seu tipo de pele e hidratar bastante.

Um olhar diferente nessa pandemia

Apesar de todas as dificuldades, é preciso cultivar um olhar otimista e esperançoso. E, por falar em olhos, eles estão bem evidentes nesse tempo de pandemia. Na falta da boca (tampada pela máscara) para expressar os sentimentos, eles têm assumido um papel importante nesse contexto.

Então, aproveite o momento para dar um realce no olhar. Um procedimento muito buscado nos últimos meses para esse objetivo é o preenchimento com ácido hialurônico e aplicação de toxina botulínica, que levantam a expressão e deixam a região dos olhos rejuvenescida.

 

Para cuidar da sua pele nesse período de pandemia, não adianta utilizar recursos caseiros ou produtos comprados na farmácia sem indicação clínica. O ideal é se consultar com um médico dermatologista para que ele possa avaliar a condição da sua pele e prescrever tratamento específico para ela.

A Clínica Lucas Miranda está à sua disposição para avaliação clínica e realização de procedimentos estéticos com qualidade e segurança. Entre em contato com a gente e agende sua consulta!